As palhetas do limpador de parabrisa são consideradas itens de segurança, segundo as normas brasileiras; e realmente são. Responsáveis por manter a visibilidade do motorista. A vida útil destas peças não depende somente da quantidade de sua utilização e devem ser trocadas assim que começarem a apresentar ineficiência.

Todos sabemos que, em dias chuvosos, o motorista deve ter a atenção redobrada ao dirigir. O que muitos não percebem é que o dobro de atenção talvez ainda seja pouco. Além de prestar muito mais atenção no trânsito em si, o motorista deve ficar atento ao funcionamento dos limpadores de parabrisas (em muitos carros, dianteiro e traseiro), regulando sua velocidade conforme a quantidade de chuva que cai, além dos defeitos na pista que podem estar camuflados pela água. Se a chuva for pouca, a velocidade do limpador deve ser menor, senão logo começa o ruído da borracha sobre o vidro. Se a chuva for intensa, aceleramos a velocidade dos limpadores ou a visibilidade logo desaparece. São frações de segundos de atenção que perdemos no trânsito, o que pode causar acidentes.

Vida útil das palhetas

O fim da vida útil das palhetas pode ser facilmente detectada. Os principais indicadores de palhetas desgastadas são rachaduras e empenamento da lâmina. É comum, também, perceber a lâmina rasgando-se do conjunto.

Estes sintomas são refletidos no mal funcionamento do sistema de limpadores de parabrisas. Quando as palhetas chegarem neste estado, você provavelmente perceberá que a limpeza do vidro não ficará 100%, e verá uma destas reações a seguir.